Seguidores

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Direcção




Para que no fim
Não me digam que foi tudo em vão
Tenho caminhado nos caminhos da humildade
Tenho perdido a razão
Assim como também sou humano
Tenho declarado boas novas
Exorcizado a dor
Na escuridão que o mundo me oferece
Tocado corações
Vivido paixões sem lugar
Sem horas marcadas
Tenho sido lembrado
Enquanto me esqueço de mim

Esta noite apenas me quero lembrar
De todos que posso amar
Quero escalar suas almas
Visitar suas moradas
E acender em cada uma
A esperança
Em forma simbólica
Uma pequena vela acesa
Para iluminar um mundo
Já por si escuro
Quero tocar corações
Suscitar pequenas razões
Em forma de amor
Quero criar novas reflexões
Em abraços de ternura
Vivo as novas sensações
Sem mudar os antigos princípios
E mudo as tarefas
Os caminhos
Para novas formas amar
E se alguém em mim levantar a voz
Ou razões em fundamentos desgastados
Ou apenas serei cordial
Pois a quem vive na falta do amor
Sem qualquer caminho
Ou direcção
Eu aqui estou bem
Tentando entender
As razões de tanta dor

1 comentário:

MariAne disse...

As respostas a todos teus questionamentos estão dentro de ti poeta!
Mantem acesa a chama que te nutre, trilhando o caminho que te faz a frente.
Hoje a dor cega-te a razão, amanhã haverás de contemplar o rastro de fidelidade que marcas em tua essência.
Abraços desta que te lê