Seguidores

domingo, 30 de outubro de 2011

Um trago de sal


Hoje revelo em mim
Uma certa luz
Um trago de sal
Ao mergulhar na alma
Um sentimento de culpa
Por ter nascido em semente
Onde o solo árido rejeita germinar
E ai nasce todos os meus Porquês?

1 comentário:

Mari disse...

Hum...
Vamos trocar os POR QUES em PARA QUE.

Enquanto nasce, há reflexão, movimento e vida!

Abraços em cor