Seguidores

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Do que tudo foi não mais será!



Tudo são cortinas
Olhares sombrios
Ternuras tardias
Ao relento de uma vida

Singelas essas retardadas palavras
Estrelas caídas
Luzes apagadas
Em almas ancoradas

Segredos mal guardados
Em mentiras de verdade
Uma mão ao toque
Um sorriso em ternura

Cavalgada aguda
A cada amanhecer
Entre uma é outra esperança
Como quem atira uma semente para crescer

Singelos olhos que se abrem
A um coração puro
Céu aberto de humildade
A cada ato

São apelos a saudade
Lembranças encontradas
No mais puro coração
Lágrima caída
Palavra sentida
Do que tudo foi não mais será!

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia
Poema com algum desencanto/desilusão.
Tudo o que foi nunca mais será porque cada acontecimento será sempre novo e sempre diferente.
Penso com humildade que não interessa chorar o passado. Cada tempo e cada dia tem o seu tempo. Devemos aceitar o nosso tempo agora e lutar para que cada dia seja bom e agradável.

Guaraciaba Perides disse...

"nada mais será como já foi um dia"
Mas pode haver um novo alvorecer!
Um abraço