Seguidores

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Esse nosso pequeno e grande amor

Não sejas apenas tu
Nem apenas eu
Em corpo nu
No que não pode ser meu

Somos dois
Um aos olhos de Deus
Lutando pela liberdade
Lutando por nossos direitos
No nosso círculo do amor

Não serás escrava
Fenestrada apenas em meu altar
Não serás escada de patamar
Serás não nunca um curto olhar

Ninguém tem que tirar a vida
O tempo bem para fazer as coisas correctas
Eu e tu lutaremos por nossos direitos
Seremos estreitos no céu aberto

Seremos luz
Fazendo frente ao encoberto
Traremos chuvas de flor
Ao deserto
Perfume de um jardim incerto

 E seremos eternos
Na vida que é curta
E enterraremos a dor!
E choraremos a saudade
Teremos nossas asas de condor
Seremos anjos Serafins
Das historias sem fins
E gritaremos ao mundo liberdade
E trocaremos sinceridade
E gritaremos a vida
Esse nosso pequeno e grande amor.


1 comentário:

Vanessa Goara disse...

e poderemos nós gritar esse amor gritante?!
Devemos. Ele é nosso. Só nosso!
Sejamos um no outro, e nos eternizemos, UM NO OUTRO.

A ti vim encontrar porque era preciso!


Belo poema querido Filipe!